Dentro da inundação de séries que entram na grade televisiva o início da temporada de outono, o AXN apostou em abrir sua temporada de novidades com um thriller estrelado por Stana Katic e Patrick Heusinger. Uma série que nasceu com vocação para prolongar-se no tempo além dos dez episódios da primeira temporada, - assegurou seu coprotagonista em sua visita a Madri - e que estreia nesta segunda-feira com um piloto ortodoxo que mostra o retorno à vida de uma agente do FBI que desapareceu no decorrer de uma investigação.

Solucionar o mistério de onde Emily Byrne esteve, quem ou o que a sequestrou e para que fim o fez, faz parte do "bom" suspense de "Absentia". Mas, além do caso policial, que envolve um assassino em série implacável com o hábito macabro de cortar as pálpebras de suas vítimas, a série na qual a ex-protagonista de "Castle" também desempenha o papel de produtora executiva, há um drama familiar profundo e difícil de resolver.

Quando Emily desapareceu durante a investigação, ela era casada e tinha um filho pequen. Durante esses seis anos de ausência forçada, sua família acreditava que ela estava morta. Seu marido casou-se novamente e seu filho considera a nova esposa de seu pai sua mãe real. Tudo isso é o que mostra um piloto eficaz em sua abordagem, e que termina - como prometido que seria ao fim de cada um dos dez episódios - com um gancho que convida a seguir a série por mais uma semana. Para a estréia, o AXN optou pela exibição de dois episódios seguidos.

"Absentia" foi um desafio para Stana Katic, uma mudança radical após 8 temporadas sendo a detetive Beckett ao lado do carismático Castle (Nathan Fillon). Ela volta ao papel de investigadora, mas apaga qualquer indicação de comédia para penetrar a fundo no universo tortuoso de uma mulher quebrada por dentro e por fora, tentando superar um trauma e recuperar uma família que virou a página. E, se isso não bastasse, como vemos logo no primeiro episódio, um novo assassinato com a marca de seu suposto seqüestrador (que está na cadeia) levanta suspeitas sobre ela.

Se o papel de Katic é complicado, o de Heusinger como seu marido, Nick Durand, não fica muito atrás. Na verdade, seu personagem é talvez aquele que enfrenta a situação - pelo menos no emocional - mais complicada. Seu filho tem a desculpa de ser uma criança e, afinal, pode amar duas mães, biológica e adotiva. E o Nick? A bigamia não parece uma opção e seu personagem, de acordo com a opinião do ator, tem um caminho traumático e difícil à sua frente nesta temporada.

No mistério e na complexidade dos personagens é onde o espectador pode encontrar a conexão com uma série que tenta sair dos estereótipos apostando em dar uma profundidade maior a alguns personagens secundários. Ocorre, como Heusinger acertadamente aponta, com a da segunda esposa, Alice (Cara Theobold). "Em outra série, ele seria um personagem detestável, mas nesta, é profundamente tridimensional," defendeu o ator, que definiu Nick como um cara que "vive para sua família. Ele quer seu filho, sua esposa e a mulher que ele perdeu. O que ele quer é proteger essa família, que está ameaçada."

As filmagens dos 10 episódios de "Absentia" aconteceram na Bulgária por três meses e, nas palavras de seu coprotagonista, a principal dificuldade foi o fato de não gravarem os capítulos cronologicamente. Ao gravá-los fora de ordem, ele teve a dificuldade adicional de que, em pouco mais de uma semana, precisou filmar todas as cenas que se passam no escritório do FBI. "Isso implica ter um controle minucioso sobre onde o personagem está em qualquer momento, tanto física como espiritualmente. Meu personagem fica cada vez mais atormentado," explicou.

Um dos focos de interesse são os personagens de "Absentia" e até onde eles conseguem ser aprofundados no roteiro. No caso de Heusinger, para prepará-lo, ele se encontrou com agentes federais em Boston e os encheu de perguntas para saber como o trabalho afetou o relacionamento com sua família, se eles desapareceram sem aviso prévio por vários dias, quanto eles recebiam, qual preparação era necessária... Após as entrevistas, acabou decidindo perder vários quilos e diminuir sua forma física habitual para dar maior credibilidade a um personagem que, no meio do turbilhão de eventos em que está envolvido, a último coisa que ele tem é tempo de ir à academia.

O grande desafio que Heusinger enfrentou como ator foi fazer Nick crível não só como agente, mas como alguém que perdeu um ente querido de forma violenta. Por isso, ele assistiu diversos documentários e leu vários artigos sobre estresse pós-traumático. "O personagem sempre começa na mente, comigo imaginando o que essa pessoa pensaria naquele momento. Coisas como a bagagem que ele carregou durante esses 6 anos de ausência de sua esposa, como foi o primeiro encontro com Alice... " As perguntas feitas pelo ator devem ser respondias desde o início da série - ou ao menos parte delas.

O piloto "Absentia," mostrado à imprensa antes de sua estréia na apresentação da nova temporada do AXN, correspondeu ao que deve ser uma apresentação eficaz, sem rodeios e sem exagerar na informação fornecida. Mostre os personagens principais em cena, defina os contornos da trama, dramas emocionais e conflitos, sem desacelerar a qualquer momento para acabar com um gancho que dá uma pegada de ação.

A promessa do coprotagonista de "Absentia" após a exibição foi que a série "só cresce". Ele assegura, sem revelar nada mais por medo dos spoilers, que "novos personagens entram em cada episódio e a trama explode na metade da temporada".